Economia

    Pesquisa Fecomércio: 89% dos empresários de Rio Branco se dizem otimistas com as vendas em 2020

    O estudo verifica também que, dentre eles, 53% acreditam em volume de negociações bem maior que o do mesmo período de 2019

    Ao menos 89% dos empresários de Rio Branco estão otimistas quanto ao primeiro semestre de 2020, segundo pesquisa realizada pelo Sistema Fecomércio-Sesc-Senac/AC por meio do Instituto Fecomércio de Pesquisas Empresariais do Acre (Ifepac), entre os últimos dias 3 e 10 de janeiro, junto a 112 empresários. A intenção do levantamento é demonstrar a influência de importantes variáveis para o movimento das vendas do comércio.

    O estudo verifica ainda que, dentre os otimistas, 53% acreditam em volume de negociações bem maior que o do mesmo período de 2019. Além disso, conforme os entrevistados, 80% das empresas do comércio funcionam há pelo menos oito anos e, destas, 39% entre dois e quatro anos, 34% entre cinco e oito anos, e 7%, com menos de um ano; 8% dos entrevistados omitem o tempo, e 12% estimam mais de dez anos de funcionamento das respectivas empresas no mercado de Rio Branco.

    Com relação ao quadro de pessoal nos estabelecimentos comerciais, 96% dos empresários informam manter até dez empregos diretos, aí incluídos 62%, que afirmam a manutenção de até cinco; e 34%, entre seis e dez empregos. Dos empresários pesquisados, 4% omitem a informação quanto a média de pessoal contratado.

    A pesquisa identifica ainda que, em 2019, somente 25% dos empresários confirmam sobre a contratação de empregados, e outros 44% afirmam haver demitido nesse ano. Porém, 31% não contrataram nem demitiram em 2019, mesmo sendo um ano de avaliação mercadológica positiva por 58% dos empresários do setor.

    Quanto ao comércio de maior demanda no mercado de Rio Branco, 35% dos empresários acreditam ser de vestuários e 7% de calçados. Outros 36% admitem maior demanda para produtos de panificação (4%), produtos agropecuários (4%), alimentação (6%), gêneros alimentícios (12%), beleza (5%), materiais de construção (2%), e outros (3%). A pesquisa destaca mais 22%, que apostam nos acessórios como de demanda acentuada.

    Para a expectativa assinalada, 50% dos empresários têm como estratégia o aumento de propagandas do estabelecimento e bens e serviços comercializados. Outros 28% demonstram a intenção de investimentos em RH, visando a melhoria do atendimento do público consumidor. Também é estratégia de 22% trabalhar com preços reduzidos, assim como mais prazos para clientes, mais promoção e estoque atualizado.

    A pesquisa finaliza indicando que, para 46% dos empresários, o bom desempenho esperado para o comércio no primeiro semestre de 2020 depende do resultado positivo das medidas econômicas do governo federal. O estudo observa que a maioria (49%), não considera essa alternativa, demonstrando, portanto, uma impressão negativa.

    Image
    Image